Éfaté

Inspirada na mitologia aborígene, “Éfaté” é numa instalação artística com um objetivo universal: ser experienciada por um qualquer utilizador, independentemente da sua condição física e cognitiva e da sua capacidade visual e auditiva (http://www.un.org/disabilities).

Éfaté

Foto Mariana Bonaparte

Apresenta-se como sendo um Didgeridoo Mágico, instrumento nativo australiano que difunde narrativas visuais, sonoras e hápticas, projetando-as numa superfície de areia. “Éfaté”, nome de uma ilha do Oceano Pacífico, procura recriar o ambiente de uma praia onde é possível entrar no Tempo dos Sonhos, “Dreamtime” (http:// www.aboriginalartonline.com), e comunicar com os espíritos da natureza, partilhando as nossas histórias e segredos.

Um projeto desenvolvido no âmbito do mestrado de Tecnologia e Arte Digital da Universidade do Minho.